FPF Tech lança 1° FabLab na Amazônia em parceria com Schneider Electric e INDT

 em Notícias

Laboratório promoverá capacitação técnica especializada, suporte na estruturação do PIM para a indústria 4.0 e no desenvolvimento de soluções de automação, rastreabilidade e bioeconomia.

Com o objetivo de atender à crescente demanda de estruturação e capacitação técnica para a Indústria 4.0 na região Norte, a FPF Tech inaugurou na última quinta-feira, 7, o laboratório de inovação FabLab powered by EcoStruxure™, estrutura única na região Norte, que dará suporte às indústrias no desenvolvimento de processos de automação, rastreabilidade, capacitação e bioeconomia.

Realizado em parceria com a Schneider Electric Brasil e o INDT, o projeto deve beneficiar 480 empresas do Polo Industrial de Manaus (PIM), que se preparam para fazer a transição para o novo modelo tecnológico.

O FabLab é inaugurado em um momento em que a demanda por capacitação técnica é muito necessária na indústria amazonense. Uma pesquisa recente da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (Fieam) revelou que 92% dos colaboradores da indústria do Estado têm pouca ou nenhuma habilidade digital.

Para o diretor executivo da FPF Tech, Luís Braga, o FabLab é uma iniciativa que vem para contribuir na solução desse problema.

“Conhecemos o gap da falta de conhecimento e para cobrir isso estamos abrindo uma agenda de treinamentos direcionada para aquilo que está faltando na região. Em conjunto com a pesquisa da Fieam, identificamos as necessidades da indústria. Estamos trazendo para dentro dos laboratórios pessoas e empresas com interesse em participar”, destacou Luís Braga, acrescentando que as atividades do FabLab já iniciam na próxima semana.

Segundo o diretor executivo INDT, Geraldo Feitoza, o laboratório pretende beneficiar não só o PIM, mas também as universidades e escolas do Amazonas.

“Há bastante demanda de inovação e capacitação técnica nas áreas de manufatura, biotecnologia e biodiversidade. O laboratório trabalhará nisso e vai propor estratégias de solução para essas demandas”, informou.

Estrutura completa para a Indústria

Com espaço de aproximadamente 180m², o novo hub conta com ferramentas, recursos e tecnologias próprias tanto da FPF Tech quanto do INDT, além do portfólio do FabLab da Schneider Electric.

O laboratório possui cinco bancadas com itens para simulação e aprendizado em automação de máquinas e uma com equipamentos para automação de processos. Esta estrutura pode trabalhar individualmente ou conectada em rede, permitindo a simulação de um ambiente real de automação de uma planta.

“Estamos inaugurando em Manaus o primeiro FabLab do Brasil com a tecnologia Schneider voltado para a capacitação para a indústria 4.0.” comemora Marcos Matias, presidente da Schneider Electric.

Plataforma habilitada para IoT e segurança cibernética

Outro ponto de destaque do novo FabLab é sua integração com o laboratório de Segurança Cibernética do INDT. As soluções desenvolvidas na plataforma do FabLab contam com o apoio da segurança de dados, por meio de testes de validação, garantindo assim, completa proteção contra ataques cibernéticos.

Com uma plataforma de sistema aberta, interoperável e habilitada para Internet das Coisas (IoT), o EcoStruxure integra avanços em IoT, mobilidade, detecção, armazenamento em nuvem, análise e segurança cibernética, apresentando inovações em diferentes níveis nas áreas de segurança, confiabilidade, sustentabilidade, eficiência e conectividade.

Bioeconomia e rastreabilidade

Uma das ferramentas do FabLab é a realidade aumentada, que permite um controle maior sobre o maquinário industrial dentro das fábricas.

“Com essa ferramenta, é possível antecipar, por exemplo, quando um dispositivo vai entrar em falha e prever a manutenção daquele equipamento. O CEO de uma empresa pode identificar qual máquina produz mais, qual está entrando em falha constante e qual dessas máquinas deveria ser inativada. Tudo isso eleva a eficiência da indústria”, explica o diretor de Industrial Automation da Schneider Electric, Carlos Urbano.

“As soluções de rastreabilidade permitirão que seja possível monitorar toda a cadeia pelo qual a pesca ou colheitas passam, do processamento à logística, até chegar no consumidor” — complementa.

Primeiras turmas em novembro

O FabLab deve iniciar as atividades na segunda quinzena de novembro, com treinamentos com ênfase no uso de tecnologias industriais, como Realidade Aumentada, Cibersegurança, Programação e proteção de máquinas e processos e seguirá oferecendo capacitação contínua a estudantes e profissionais da região.

Neste espaço, terão foco especial treinamentos com ênfase no uso de tecnologias industrias.

As soluções apresentadas permitirão que a bioeconomia e a rastreabilidade também sejam exploradas nos laboratórios, agregando valores ao desenvolvimento de tecnologias ligadas aos recursos naturais da Amazônia e a sustentabilidade.

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar

Sistema para automatização do processo de alimentação da empacotadora dos blocos de recado

 

BENEFÍCIOS

TECNOLOGIAS

Plataforma para modelamento Creo, plataforma de modelamento Solid Works, programação PLC, linguagem Ladder, normas NR 10 e NR 12.  

 

×