Inovações da FPF Tech e do INDT são destaques no evento Amazônia 21

 em Notícias

Entre os painelistas do evento estavam expedicionários de todo o país e expoentes da área de sustentabilidade, como Mary Allegretti


Projetos e programas do INDT e da FPF Tech foram alguns dos destaques da 2ª edição do evento Amazônia 21, realizado em Curitiba, no dia 28 de setembro. Promovido pela Academia Amazônia Ensina, startup de Manaus incubada no Instituto Nacional de Pesquisa da Amazônia (INPA), o evento promoveu debates sobre sustentabilidade, além de dedicar um olhar especial sobre a Floresta Amazônica com atividades como painéis sobre bioeconomia digital, práticas de inovação e sustentabilidade, degustações de comidas típicas da região e sessão de cinema.

Os painéis se dividiram em 3 etapas, com o primeiro do dia apresentando os participantes da 2ª Expedição Amazônia 21, realizada em julho deste ano. A turma debateu sobre sustentabilidade ambiental e alinhou a áreas como Comportamento, Comunicação e Gestão para a roda de conversa.

No segundo painel foram apresentados oportunidades e desafios para a bioeconomia digital no Brasil. Atores que trabalham com incentivos a startups e negócios de impacto social e ambiental no país tiveram grande destaque nas apresentações como o Instituto de Desenvolvimento Tecnológico (INDT), Fundação Paulo Feitoza (FPF Tech), Instituto de Conservação e Desenvolvimento Sustentável na Amazônia (Idesam) e CONEXSUS.

Geraldo Feitoza, presidente do INDT participou com a palestra Economia Digital e Natureza. Para ele, “eventos como o Amazônia 21 colocam pessoas num local longe da Amazônia, bastante interessadas em discutir o futuro da região. De uma forma correta, acertada, onde essas ações sejam baseadas na tecnologia, no conhecimento humano, no comportamento das pessoas da região para que possamos encontrar a melhor solução para a nossa região. Esse é um dos pontos mais importantes porque pessoas, que parecem estar ao mesmo tempo tão longe e tão perto, entram em uma realidade que até nós, aqui da região, desconhecemos. ”

Durante os intervalos das apresentações, o público teve a oportunidade de experimentar comidas tipicamente Amazônicas. Dentre as opções, foram servidos geleias, sucos da região, açaí do Pará e tambaqui assado com vinagrete feito com tucupi preto.

A programação do evento teve, em seu terceiro e último bloco, a participação de iniciativas que trabalham com práticas para inovação e sustentabilidade, com a apresentação da antropóloga Mary Allegretti dando mais detalhes sobre o movimento ambientalista e os processos de criação de unidades de conservação no Brasil.

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar

Sistema para automatização do processo de alimentação da empacotadora dos blocos de recado

 

BENEFÍCIOS

TECNOLOGIAS

Plataforma para modelamento Creo, plataforma de modelamento Solid Works, programação PLC, linguagem Ladder, normas NR 10 e NR 12.  

 

×